quarta-feira, janeiro 21

Histórias com finais soltos.



Eu já assisti muitos filmes/séries e li livros em que o final foi meio que "sem sentido", perguntas ficaram no ar, os personagens não tiveram seus futuros definidos, não explicaram tal coisa... Enfim, em algumas histórias você tem simplesmente que imaginar. Imaginar o que aconteceu depois do fim daquele capítulo, daquela história. A maioria das pessoas reclamam quando isso acontece. Alguns exemplos são os livros O Sangue do Olimpo e O Fim
 Chovem reclamações dos fãs em cima dos autores, editoras, cachorros e hamsters, por aquela sua série preferida que acabou não ter um final definitivo. Ou seja, a pessoa achou um namorado, casou, teve filhos, fim. Mas me diz, qual é a graça de assistir ou ler alguma coisa assim? Eu particularmente prefiro imaginar. Prefiro imaginar o que acontece depois do "fim". Quem fica com quem, quem morre, quem vai preso, quem separa de quem... Não é bem melhor?
 Quando eu comentava com os outros que eu estava lendo Desventuras em Série, chovia críticas por conta do final sem explicações. Sim, ficaram MUITAS questões soltas. Mas aí eu penso: Meu amor, se você leu treze livros do mesmo autor e não percebeu que ele ama um suspense, o que você estava fazendo? Hilário.
 Outra foi com O Sangue do Olimpo, logo após do lançamento, minha timeline no facebook só falava de como o final do livro foi horrível. Ok, eu fiquei com medo. Mas quando eu acabei o livro, formei uma opinião totalmente diferente. Óbvio que o Riordan errou em muitos pontos, mas o final foi extraordinário. Que graça teria o autor contar o que aconteceu depois do último capítulo? É tão bom você imaginar o que aconteceu depois daquilo: se eles morreram ou não, se deu tudo certo ou não...
 Um outro exemplo é o filme Os Sonhadores (se você não tiver visto, corra pra ver já!). O filme é extremamente maravilhoso, uma explosão de naturalidade e amor, cheio de grandes referências cinematográficas e musicais, filosofias... O filme não foi feito pra ter um final definido. Foi feito para você se concentrar no filme, não no final. Imaginar o que aconteceu depois daquilo, se os três continuaram amigos... Pra mim, essa é a graça!
 Enfim, eu também gosto de histórias com finais definidos, o foco do post é só pra essas pessoas entenderem que um final acabado no meio de uma frase não deixa de ser bom. O que importa, é a história em si.
 E vocês? O que acham de finais sem respostas? Até a próxima! :P

15 comentários:

  1. Confesso que fico me remoendo quando leio esse tipo de livro, mas
    a leitura é pra usar a imaginação e isso faz parte, não deixo
    de ler um livro por conta disso.

    Seguindo aqui... Beijinhos
    http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/01/para-os-meninos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente tem uns que deixa a gente super inquieta!
      Obrigada, volte sempre!
      Beijos ♥

      Excluir
  2. Eu escrevo bastante, mas confesso que a maioria das minhas histórias tem um final de suspense. Gosto dessa sensação. haha'
    Beijos
    http://www.jardimdeprimavera.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótima essa sensação de deixar um suspense, não? Hahahaha.
      Beijos ♥

      Excluir
  3. Oi Juliana!

    Já li muitos livros - mentira, foram poucos - e muitos filmes com finais totalmente sem sentido. A respeito dos que você citou, como, por exemplo, O Sangue do Olimpo, realmente concordo contigo. É como se o autor tentasse abrir a mente do leitor para ele mesmo criar o seu final alternativo... mas parece que muitos leitores não percebem isso :/

    Abs,

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! É triste mesmo ver esses leitores que não conseguem entender a mensagem do autor... sendo que é tão bom assim!
      Beijos ♥

      Excluir
  4. Oi Ju!
    Olha, recentemente eu me decepcionei com dois finais "soltos" de duas séries, que são American Horror Story (em específico, o último episódio da 4ª temporada, o Freak Show) que acabou tipo "como assim?!" e nem deu pra entender, e hoje terminei a série True Blood (que realmente acabou Caramelos Encantados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Olha, eu achei o final de American Horror Story épico! Hahahaha. Algumas coisas realmente ficaram totalmente sem sentido, como a Elsa de volta lá. Foi bem WTF, mas eu gostei bastante também.
      Beijos ♥

      Excluir
    2. Ué, que estranho isso. Sacanagem!

      Excluir
  5. Olha só , eu era super do tipo que ficava mega brava com histórias que acabam sem sentido algum, eu me revoltada, e ficava pensando "cara, cadê o meu final?" "Não entendi, iai ? O que mais ? Acabou ?" , psé admito . Mas com um tempo , lendo mais livros, assistindo mais filmes e lendo textos do tipo, eu vi que isso é bobagem, e que devemos nesses casos criar o nosso final, usar a nossa imaginação, pois os livros são feitos para isso, para usarmos a imaginação e criarmos nosso final, e talvez aquele final que queríamos que tivesse, o autor não seria capaz de produzir algo tão bom quanto o que nós próprios podemos pensar, então eu realmente aprendi com isso e sei lidar melhor com essa situação.

    simplesgarota.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também era assim. Ficava super revoltada, mas com o tempo eu fui entendo e passando a gostar mais e mais desses tipos de finais.
      Beijos ♥

      Excluir
  6. Eu fico revoltada quando eu assisto um filme, leio um livro ou pior cancelam a serie que eu amo sem um fim adequado. Eu acho isso uma falta de respeito.
    Eu tô aprendendo a conviver com isso pois hoje em dia mais e mais filmes / series/ livros estão assim.

    Beijinhos ;*
    Amoras com Classe
    Youtube

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cancelar séries já é demais! Isso eu não aguento, hahahaha. Não sei o que faria se cancelassem uma série que eu goste.
      Beijos ♥

      Excluir

Deixe um elogio, uma crítica, um conselho, uma sugestão, um recadinho... Ficarei super feliz em te ouvir!
* Leia o post, não apenas jogue seu link aqui;
* Deixe o link do seu blog no final do post, se você tiver e quiser, para que eu possa visitá-lo.